Cercas elétricas são soluções bastante utilizadas em projetos de segurança eletrônica residenciais e empresariais. Com custo relativamente baixo em instalação e manutenção, elas possuem grande poder inibidor, prevenindo e dificultando a invasão de locais através de pulsos elétricos que emitem choques. Saiba como utilizá-las devidamente.

O que são e como funcionam?

Simplificando, as cercas elétricas são fios energizados que, se tocados ou rompidos, emitem choques para evitar invasões no local monitorado.

As cercas funcionam da seguinte maneira: o equipamento gera e entrega, a cada segundo, um pulso de alta voltagem. O retorno deste pulso é monitorado e, quando há o rompimento ou tentativa de sabotagem, a cerca elétrica dispara um sinal sonoro.

Importante ressaltar que este choque, apesar de forte, não possui intensidade o suficiente para causar a morte de pessoas e animais.

Cuidados na instalação

A NBR IEC 60.335-2-76 é a norma da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) que regulamenta a utilização de cercas elétricas, e as leis Brasileiras seguem os mesmos requisitos estabelecidos por esta norma. A instalação deve ser feita somente por profissionais capacitados, utilizando equipamentos certificados pelo INMETRO e obedecendo alguns princípios básicos de segurança, como por exemplo:

  • O limite mínimo de altura da cerca.
  • Não invadir o espaço físico vizinho
  • Inserir avisos de advertência quanto ao risco de choque

Em caso de acidentes com a cerca elétrica, o proprietário do imóvel pode ser responsabilizado. Por isso, é importante ser consciente e seguir corretamente as normas vigentes em seu município, além de se assegurar de que os equipamentos possuam certificação do INMETRO.

Ao contrário de que muitas pessoas imaginam, as cercas elétricas possuem um baixo consumo de energia. Outra curiosidade é que, caso o fornecimento de energia elétrica do local seja interrompido, o sistema da cerca continua a operar, já que possui uma bateria de emergência.